Um moderno recurso da tecnologia da informação vem se tornando gradativamente mais utilizado no Brasil como um método de segurança e monitoramento menos intrusivo. Trata-se da biometria facial.

O sistema de biometria de reconhecimento facial é um sistema que reúne uma câmera e um software. A câmera é utilizada para coletar imagens tridimensionais e identificar pontos e medidas do rosto humano, entre os quais o tamanho do crânio, a distância entre os olhos, a largura do nariz, o comprimento da linha da mandíbula, o tamanho dos lábios, entre outros.

O software lê as informações captadas pela câmera e o rosto de determinada pessoa é automaticamente codificado, armazenando esses dados junto ao cadastro do indivíduo em um banco de dados. Sempre que a pessoa passa pela câmera associada ao sistema, suas informações faciais são comparadas com este banco e ela pode ser identificada, seja pelo próprio programa (mais comumente) ou por um técnico.

O software tem a capacidade de identificar distinções mesmo entre pessoas muito semelhantes. “No caso de gêmeos, para nós não há diferença, mas o reconhecimento facial capta pequenas diferenças que a olho nu não seriam vistas. Sempre alguma distância entre os olhos ou tamanho do nariz ou lábio pode ser identificada como uma diferença para que o software indique que aquele é um e não o outro”, explica Maurício Nozaki, diretor de tecnologia da OxxCode – empresa focada em projetos para captura automática de dados – em reportagem ao Olhar Digital.

Segundo informações fornecidas pela MADIS, empresa especializada no segmento de tecnologia de controle de ponto e controle de acesso para pessoas e veículos, a biometria de reconhecimento facial “é um dos processos de identificação mais rápidos e seguros, permitindo identificar de modo instantâneo qualquer pessoa, pela sua imagem facial”.

Artigos Relacionados

Deixe um Comentário