A comunicação entre empresas e usuários está em constante reinvenção, especialmente no meio digital. Desde o início de 2016, quando Chrome e Firefox habilitaram as Web Push Notifications, elas estão presentes cada vez mais em blogs, portais de notícias, e-commerces e outros sites.

As Web Push Notifications são pequenas abas que aparecem no canto superior do navegador e costumam convidar os usuários a se cadastrarem para receber novidades publicadas pelo site em questão. Essas mensagens são enviadas ao público mesmo quando ele está realizando outra atividade na internet.

A tecnologia de Web Push Notifications é inspirada nas notificações de aplicativos mobile. O princípio é o mesmo utilizado nos smartphones para indicar aos usuários que receberam uma nova mensagem, um novo email ou outra interação em alguma de suas mídias sociais, com o aparecimento de uma mensagem e/ou ícone na parte superior da tela.

Uma push notification pode ser utilizada para transmitir diferentes mensagens, de acordo com o interesse do site. Podem informar sobre novidades, novos posts ou reportagens, podem oferecer cadastro em newsletters; em e-commerces podem apontar os produtos novos ou os mais populares no momento, informar as mercadorias que deixaram o carrinho antes da conclusão da compra, etc.

Uma dificuldade das Web Push Notifications é o limite de caracteres. Logo, o anunciante precisa escrever a mensagem de forma clara, precisa e objetiva, de forma a conquistar e/ou convencer o usuário.

Existem duas maneiras de criar a mensagem da Web Push Notification. A primeira delas se dá através do opt-in ativo do navegador, no entanto, esse formato não permite editar o texto da notificação e nem a inserção de imagens.

Já a segunda maneira de inserir a mensagem da Web Push Notification é através de um opt-in desenvolvido por uma ferramenta, entre as quais PushCrew, Aimtell, SendPulse e One Signal.

Artigos Relacionados

Deixe um Comentário