Lançamento de satélite brasileiro permitirá a conexão de novos usuários

O governo brasileiro lançou na última quinta-feira (04) seu primeiro Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC), que será usado para ampliar a capacidade de telecomunicações e a oferta de banda larga em regiões remotas do Brasil, dessa forma, 100% do território nacional poderá ter acesso à internet.

 

Além disso, o satélite será utilizado pelas Forças Armadas para a transmissão de informações civis e militares por um meio seguro.

 

O SGDC passará por 30 dias de testes e, a partir da metade de junho, já poderá ser utilizado para fins militares. Já o uso para comunicações e oferta de banda larga estará disponível apenas a partir de setembro.

 

O satélite, que pesa 5,8 toneladas e tem 5 metros de altura, cobre todo o território nacional e o oceano Atlântico. Está posicionado a 36 mil quilômetros da Terra, gira na mesma velocidade que o planeta e se mantém sempre sobre o mesmo ponto.

 

Segundo o Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, o SGDC exigiu R$2.784 bilhões em investimentos e tem uma vida útil prevista de 18 anos. O satélite, fruto de uma parceria entre a Telebras e o Ministério da Defesa, será totalmente controlado por 50 profissionais brasileiros que participaram de sua construção, ocorrida em Cannes e Toulouse, na França, durante 2 anos.

 

O lançamento ocorreu na base Kourou, na Guiana Francesa, de onde o satélite brasileiro foi enviado dentro do foguete Ariane 5. O Centro de Lançamento de Alcântara da Força Aérea Brasileira não foi utilizado pois não tem capacidade para lançar foguetes do tamanho do que foi usado.

 

Com o SGDC, além de levar a possibilidade de internet para todo o Brasil, o país também deixará de alugar o sinal de satélites de empresas privadas, como acontece atualmente.

Deixe um Comentário