Desde o início da década de 2000, quando as tecnologias mobile começaram a ser desenvolvidas, elas vem ganhando o mundo. O que começou com telefones celulares grandes demais para os padrões atuais, PDAs (Personal Digital Assistent), passando a MP3 e MP4 e outros gadgets, hoje são aparelhos de smartphones e tablets que reúnem todas essas funções e dominam nossas vidas.

A maneira como as pessoas se comunicam e realizam atividades, sejam pessoais, de entretenimento, lazer ou até mesmo de negócios, vem se alterando. Segundo um estudo realizado pela Fundação Getúlio Vargas, ao menos desde abril do ano passado o número de dispositivos móveis conectados à internet ultrapassou o de computadores, chegando a 154 milhões de smartphones.

Outro conceito que vem se popularizando mais recentemente e tem mantido ainda mais as pessoas no meio digital é o Cloud Computing, ou Computação em Nuvem, que permite aos usuários acessar e armazenar diversos serviços e funcionalidades online, sem precisar de um programa específico em seu computador, necessitando apenas de acesso à internet.

Unindo ambas as tecnologias, surge uma grande oportunidade para as empresas. Os dispositivos móveis permitem a utilização das funções de localização para oferecer serviços aos usuários que se encontram em uma determinada região, dessa forma, a empresa pode atingir novos clientes em potencial.

Além disso, os aplicativos para dispositivos mobile têm se tornado um meio muito eficiente de conectar prestadores de serviços com as pessoas que precisam dessas serventias, sem contar suas outras inúmeras funcionalidades.

Algumas aplicações permitem que os clientes realizem o pagamento da conta pelo celular, ou chequem quanto tempo ainda precisarão esperar na fila antes de entrar num restaurante. Outros ainda permitem o gerenciamento dos serviços contábeis de uma empresa e/ou depositam o pagamento recebido pelo app (aplicativo) direto na conta corrente. Facilidades para organizações e clientes.

É claro que para a empresa ter sucesso, são precisos alguns investimentos em mobile, assim como em marketing digital e administração de mídias sociais, afinal, redes de comunicação como Twitter e Facebook são um dos aplicativos mais utilizados em dispositivos móveis. No entanto, esse investimento logo gera retorno.

Segundo uma pesquisa conduzida pelo Boston Consulting Group, em conjunto com com a Qualcomm no Brasil, Índia, China, Estados Unidos, Alemanha e Coréia do Sul, apontou que pequenas e médias empresas que adotam tecnologias móveis e/ou de aplicativos em algum ponto de suas atividades, tem um crescimento maior de suas receitas do que aquelas que não adotam. Em países emergentes, como é o caso do Brasil, o ganho pode chegar a ser 50% maior do que das outras empresas.

Já as funcionalidades dos serviços em nuvem podem facilitar e beneficiar o trabalho interno de uma empresa. Cloud computing dá aos funcionários maior flexibilidade e portabilidade, pois os arquivos podem ser acessados de qualquer lugar e a qualquer momento, sem as restrições que pendrives, HDs externos, etc. apresentam.

A nuvem também acompanha o ritmo de desenvolvimento da organização, permitindo upgrades e downgrades quando forem necessários, sem precisar interromper o trabalho na companhia para que as alterações sejam realizadas.

Além disso, o trabalho da equipe de TI pode ser redirecionado a outras questões, concentrando esforços em soluções para o crescimento da empresa, e não em atualizações constantes das aplicações tradicionais. E ainda, a adoção de serviços em cloud permite a redução de gastos com suportes à problemas técnicos, com infraestrutura, energia e mão de obra.

Por fim, as empresas que pretendem se adaptar aos serviços mobile e em cloud, especialmente nos meios de contato com o cliente, precisam sempre garantir que suas plataformas funcionem adequadamente em dispositivos móveis, que sejam igualmente funcionais em celulares e tablets quanto são em computadores. Problemas poderão existir, desenvolvedores de sites, softwares e apps podem e devem resolver, e é muito necessário que essa manutenção contínua seja feita, afinal estamos falando da vitrine do negócio para os consumidores.

Artigos Relacionados

Deixe um Comentário