Já mencionamos algumas vezes, em outros artigos sobre Business Intelligence (BI) neste site, que um ponto importante para o funcionamento correto da estratégia de BI adotada – e um dos benefícios – é uma interface simples e de fácil acesso para qualquer usuário. Esta necessidade está diretamente ligada a User Experience (UX), que se baseia nas percepções e reações de uma pessoa ao utilizar um produto, serviço ou sistema.

A User Experience – no português “experiência do usuário” – monitora as respostas do usuário ao produto utilizado para personalizar sua experiência, com o objetivo de fazer com que toda e qualquer pessoa sinta que o serviço foi criado especialmente para ela. Além disso, busca descobrir o porquê de um problema, quem (perfil dos usuários) o está enfrentando e como ele pode ser resolvido.

A UX e o Business Intelligence estão profundamente ligados. Alguns acreditam que somente o BI oferece ferramentas para coletar e analisar toda a informação da experiência do usuário e gerar relatórios e números – fatos concretos – para aprimorar justamente a UX.

O BI é um dos meios, se não o meio, mais eficiente para identificar as necessidades dos usuários, especialmente de clientes de empresas que atuam no meio digital, onde há produção de um grande número de dados, seja dados de browsing, comportamento em redes sociais, informações de localização, etc.

O Business Intelligence é capaz de analisar todas essas informações e informar ao marketing e a UX quais estratégias podem ser adotadas para apresentar ao cliente serviços que são de seu interesse, permitindo a empresa reagir de forma mais rápida e conseguir novos negócios.

Por outro lado, a User Experience também pode aprimorar a ferramenta de BI.

A UX permite aos desenvolvedores perceber que diferentes pessoas, diferentes departamentos, preferem diferentes ferramentas e tem mais facilidade em assimilar informações apresentadas de uma determinada forma, assim, as informações da experiência do usuário podem ser utilizadas para que o software de BI seja desenvolvido da melhor maneira possível, gerando painéis e relatórios claros e objetivos, com as informações importantes saltando aos olhos.

Uma ferramenta assim permite unir diferentes dados, como texto, números, gráficos e tabelas, de maneira organizada. Ao tornar a informação evidente, o trabalho com a ferramenta será útil e intuitivo e por isso ela será usada, pois facilita e agiliza os negócios dentro da empresa. Uma ferramenta de BI que apresenta informações de maneira desorganizada ou poluída demais não será utilizada e todo o investimento terá sido em vão.

Por isso, adotar uma estratégia que una as funcionalidades do Business Intelligence com as da User Experience pode tornar o trabalho de analisar dados de diferentes fontes e em diferentes formatos, simples, rápido e efetivo. E sempre podendo ser adaptado ao gosto do usuário.

Artigos Relacionados

Deixe um Comentário